sábado, 11 de janeiro de 2014

Cortando por uma boa causa

Oi gente! Hoje o post é com uma amiga minha, a Marcela Souto. Ela é super estilosa e simpática. Ela vai contar pra gente como foi cortar o cabelo e doa-lo para uma instituição. Espero que vocês fiquem inspirados. Curtam o post, beijos!


Começou com um alisamento (muito) mal sucedido. O estrago foi tanto que a única solução era deixar crescer e, como eu não teria força de vontade pra esperar meses e meses pra ter um cabelo bonito de novo, eu procurei na internet algumas formas de fazer o cabelo crescer mais rápido e acabei encontrando uma que realmente funcionou. Meu cabelo foi crescendo e logo chegou a hora de alisar novamente pra esconder as ondas que se formavam na minha nuca. O problema é que eu estava traumatizada demais com o último alisamento e resolvi deixar meu cabelo natural, e pra isso eu deveria, um dia, cortar toda a parte alisada, que já estava bem grande, aliás. Havia o método mais tranquilo, de cortar as pontinhas mensalmente, e o método radical, de cortar tudo de uma vez só. Eu ainda não tinha decidido o que fazer quando, por acaso, eu vi na TV a história de uma menininha que tinha um cabelão (bem maior do que o meu na época) e cortou ele bem curtinho para doar e fazer uma peruca pra uma outra menininha, com câncer. Isso me inspirou e no mesmo dia eu pesquisei na internet como era o processo de doar o cabelo, o que eu deveria fazer, para onde eu deveria doar e, no meio da pesquisa, eu encontrei o site da ORVAM (ONG dos Ribeirinhos Vítimas de Acidente a Motor). Inicialmente minha doação seria para fabricação de peruca para alguma pessoa com câncer, mas quando eu soube como era a vida de uma vítima de escalpelamento (um acidente no qual a pessoa perde o couro cabeludo, normalmente quando o cabelo agarra no motor de barco, que é o meio de transporte mais importante dos ribeirinhos), eu achei que seria uma doação mais bem aproveitada. Não que eu não ache digno doar para uma pessoa com câncer, longe disso, mas um paciente com câncer, depois de curado, vai ter cabelo de novo, e uma vítima de escalpelamento nunca mais terá. Isso me comoveu muito. Se um cabelo alisado errado já tinha me deixado muito infeliz, imagina como devem se sentir as meninas que sofreram esse acidente? A maioria das meninas que são vítimas de escalpelamento têm o cabelo enorme, daqueles que você espera anos crescendo e cuidando, e deve ser terrível imaginar que você nunca mais vai ter um cabelo assim. Quando eu pensei nisso, a primeira coisa que eu fiz foi falar da minha decisão pro meu namorado e pra minha família, para ter apoio e para eles não me deixarem dar pra trás. Pra minha surpresa, minha mãe no começo não aprovou. Ela achava que o site podia ser falso, que eu devia vender o cabelo, essas coisas. Mas, mostrando as histórias de vida das pessoas que já sofreram escalpelamento, ela também ficou comovida e insistiu que não só eu devia doar, como ela também ia doar umas mechas que ela tinha de um megahair que ela usou por um tempo. Eu lembro de quando eu fui no salão cortar (carregando uma régua de escola pra mostrar exatamente quanto eu queria cortar!) e alguns funcionários me acharam louca, porque meu cabelo era grande, liso, sedoso e brilhante, o tipo de cabelo que te faz pagar muito dinheiro em máscaras, shampoos e condicionadores pra ter igual, e alguns até tentaram me fazer desistir, mas quando eu falei que eu ia doar o cabelo, eles acharam muito bonito o meu gesto. Claro que foi difícil foi me ver de cabelo curto, é meio que um choque passar a mão na ponta do cabelo e ela estar no seu ombro e não no meio das costas, mas eu fui me acostumando. Hoje meu cabelo ainda tá curto, eu não consigo fazer muitos penteados, meu rabo de cavalo fica feio e ele não é mais tão brilhante ou sedoso como cabelão que eu tinha, por conta de umas tinturas que eu tentei usar e não deram certo, mas tudo bem. Sempre que eu sinto falta do meu cabelo grande, eu imagino o quão feliz deve ter ficado a pessoa que recebeu uma peruca feita com o cabelo que eu doei. Eu amava meu cabelo, mas eu sei que essa pessoa, agora, ama muito mais do que eu.

Antes:


Depois:




Pra vocês que leram até o final espero que tenham ficado tão inspirados quanto eu! A Marcela é maravilhosa e a admiro demais. Beijos e até o proximo super post.

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu amei esse post, me comoveu muito, amei :)

Anônimo disse...

Não tem fotos?

Rebeca Costa disse...

Vou atualizar o post e colocar fotos!

Rebeca Costa disse...

Também fiquei muito emocionada e to até pensando em doar meu cabelo também.